Masturbação feminina não é mais tabu e isso é uma coisa que não temos mais dúvidas, não é mesmo?

masturbação feminina

Em pleno 2016, as mulheres estão conhecendo o próprio corpo cada vez mais, experimentando novas sensações, novas técnicas e novos acessórios, utilizando de todas as possibilidades disponíveis (que antes eram  “proibidas”) para conseguir mais prazer, estejam sozinhas ou acompanhadas.

Essa constatação tem um lado bom e um lado ruim. O lado bom é que isso é maravilhoso para as mulheres, pois elas se tornam mais livres, mais sexuais, mais cientes do que proporciona mais prazer a elas, mais determinadas na busca da sua própria felicidade sexual.

masturbação feminina

Já o lado ruim.. é que os padrões de exigências se elevam. Ao conhecerem melhor o próprio corpo, elas sabem exatamente como gozar sozinhas – e gozar gostoso, não apenas fazer por fazer.

O autoconhecimento acaba tornando as mulheres mais exigentes na hora do sexo.

Por isso, para nós, performances meia boca não colam mais. Precisamos ser verdadeiros especialistas em orgasmos femininos. Essa deve ser nossa meta.

Por isso, o blog Macho de Verdade bolou um Guia completo sobre Masturbação Feminina para aprimorarmos as técnicas de masturbação para surpreender a parceira na hora de masturbá-la. Afinal, ela faz isso todos os dias (se não todos os dias, com uma frequência razoável).

Selecionamos técnicas de diferentes partes do mundo para transformar você em um verdadeiro mestre da masturbação feminina.

A ideia aqui é que você seja capaz de proporcionar mais prazer a sua parceira do que ela mesma. Tá preparado?

Como masturbar uma mulher

Para masturbação feminina, o primordial é delicadeza. Não quer dizer que os movimentos precisam ser leves demais – mas trata-se de uma região super sensível e que não funciona na base da pressão. Mas, com movimentos persistentes e gradativos, os resultados são garantidos!

Para começar, você precisa CONHECER toda a vulva da mulher. Saber onde fica cada coisa. É sério: é sua obrigação saber onde fica cada coisa. Uma das maiores queixas femininas é que os homens acariciam os locais errados na hora da masturbação feminina, fazendo com que elas percam completamente o tesão. Não seja esse cara!

Nós trouxemos uma imagem bem didática para ajudar:

masturbação feminina

Como você viu, o clitóris fica na parte superior, e a entrada da vagina mais pra parte inferior. Tudo isso, todo esse conjunto é uma grande zona erógena. Explore tudo: não fique tempo demais em apenas um lugar.

Preparando o terreno para masturbação feminina

Uma coisa aqui é fundamental: as mulheres funcionam de maneira muito diferente dos homens em relação ao sexo e a excitação. Ou seja: você sabe que praticamente qualquer coisa é capaz de te deixar excitado e pronto pra transa.

A mulher precisa de muito mais estímulos para ficar da mesma forma.

O imaginário erótico da mulher precisa ser ativado para que ela entre no clima. Para isso, enquanto vocês ainda estiverem conversando e vestidos, você pode caprichar em olhares, pegadas fortes, sussurros no ouvido, beijos no pescoço.

Dessa forma, o corpo dela vai se esquentando aos poucos e quando a brincadeira realmente começar, ela vai estar implorando por você.

masturbação feminina

Toques suaves são excitantes. Mas, para isso, a lubrificação é essencial. Em um contexto sexual, nunca toque uma mulher com as mãos secas ou ressecadas! Nunca. Nunca!

Nossas mãos são mais ásperas e duras do que as mãos femininas, certo? E a sua intenção é fazer com que a experiência seja excitante do início ao fim, e jamais incômoda.

Antes de começar a masturbação feminina, fique atento a esses detalhes

Assim, antes da hora H, passe creme nas mãos, verifique se as unhas estão cortadas e lixadas e, com auxílio de um óleo corporal da sua preferência, siga as nossas dicas.

Antes de começar, faça uma hora” com ela, passando as mãos lentamente pelo seu corpo, começando pelos pés, passando pelas coxas, virilha, barriga, parte inferior da barriga…  faça movimentos circulares ao redor da vulva, com ela ainda de calcinha.

Contorne, lentamente, os grandes e pequenos lábios com os dedos. Aperte os grandes lábios um contra o outro, repetidas vezes. Coloque a calcinha para o lado e “finja” que vai colocar os dedos e tire. Ao mesmo tempo, com outra mão, acaricie seus seios – vale também usar a boca e os dentes.

Antes de continuarmos, precisamos te fazer uma pergunta importantíssima

Você conhece bem o clitóris?

A primeira coisa que você precisa saber sobre o clitóris é que ele é o único órgão do corpo humano (tanto masculino, quanto feminino) que existe única e exclusivamente para o prazer.

masturbação feminina

E isso é legal pra caramba. Sabendo disso, já dá pra ter uma noção da importância desse órgão para estimular o prazer.

Vamos pensar dessa forma: a cabeça do pênis é a cabeça do clitóris, e o comprimento do pênis são as “pernas” do clitóris. Você pode estimular o clitóris com a boca, ou usando as mãos, brinquedos sexuais e até mesmo estimular com o corpo durante a relação sexual.

A “cabeça” do clitóris é ainda mais sensível do que a cabeça do pênis e tem muito, mas muito mais terminações nervosas.

Além disso, o clitóris é muito mais do que aquele “botãozinho” mágico. Aquilo ali é só a ponta do iceberg. As “pernas” do clitóris envolvem o canal vaginal. Assim como o pênis, o clitóris infla quando estimulado. Ele fica mais saliente na sua parte externa (a visível) e, assim, comprime a vagina internamente. Incrível, né?

Um pequeno ponto para o homem, um grande prazer para a mulher

Agora, imagine alguma mulher masturbando-o. Daí agora imagina que ela fique apenas na cabeça. O tempo inteiro. Não explore mais nada no seu corpo além da cabeça do seu pênis. Você, uma hora ou outra, vai começar a achar irritante e vai se cansar, certo?

Pois é exatamente isso que as mulheres sentem quando os homens estimulam apenas o seu clitóris, insistentemente.

No momento em que ela se irritar, saiba que ela se distanciou 90% do orgasmo e precisamos voltar à estaca zero. Portanto, a dica é: aprecie o corpo dela inteiro, sem moderação.

O vídeo abaixo é feito para mulheres, mas tem dicas valiosas para nós homens 

Diferente do pênis, que um movimento repetitivo já é o suficiente para levar ao orgasmo, a vagina precisa de variações e ritmos diferentes. Não se esqueça disso durante o processo. Vamos prosseguir?

Masturbação feminina com os dedos

Cara, aqui é onde a maioria dos erros acontecem. A seguir, trouxemos um vídeo que mostra exatamente alguns dos erros mais comuns cometidos pelos homens na hora da masturbação feminina.

Além disso, ele mostra a forma certa de masturbar uma mulher usando os dedos. Mais direto e efetivo do que as instruções escritas, as instruções visuais desse vídeo vão fazer com que você aprenda a, literalmente, enlouquecer sua parceira na cama.

O inexplorado ponto U

O ponto G a gente já sabe que é polêmico. Caso você ainda tenha dúvidas de como encontrá-lo e como estimulá-lo, esse artigo vai te ajudar a se tornar um verdadeiro expert.

E o ponto U? Você sabe do que se trata?

Posicionado entre o clitóris e a entrada da vagina, o ponto U é uma área extremamente sensível: a uretra, lugar por onde sai a urina.

Para estimulá-lo, você pode pressionar a área levemente, com o meio dos dedos, fazendo movimentos circulares ou de cima pra baixo.

O clima certamente já vai esquentar. Usar a língua também é super válido! Passe-a por toda a vagina dela e concentre-se no ponto U.

Por se tratar de um local sensível e, de certa forma, pouco explorado, não dispense o uso de lubrificantes. Ele se tornará cada vez mais inútil à medida que a mulher for ficando excitada.

Dessa forma, suas mãos ficarão escorregadias e a masturbação ainda mais prazerosa para a sua parceira.

Masturbação feminina: Kunyaza

A palavra Kunyaza é originária dos povos Rundi, da Ruanda, e é derivada do verbo kunyaàra, que significa: 1) fazer xixi; 2) o ato da ejaculação feminina decorrente da prática de mesmo nome.

No Kunyaza, a mulher comumente expele um litro ou mais de líquidos vaginais, razão pelo qual o termo pode significar também “sexo molhado”.

masturbação feminina

A técnica é considerada uma prática tradicional da Ruanda, e o folclore popular sugere que ela remonte à Terceira Dinastia.

Quando uma rainha escolheu um guarda real para ter relações com ela, o homem acabou ficando muito nervoso com tamanha responsabilidade e brochou antes mesmo do sexo começar.

Para tornar a vergonha menor e conseguir satisfazê-la, ele desenvolveu um método: friccionar a glande do seu pênis contra os grandes e pequenos lábios da vagina e também no clitóris da rainha. Parece que o negócio deu certo!

Na prática ancestral do Kunyaza, a mulher é a rainha. Ela participa cooperando com seu parceiro escolhendo os estímulos que deseja receber, além da intensidade do ritmo que será usado, assim como comunicando ao parceiro quais são as partes de sua vagina que respondem melhor aos estímulos.

Tipos de estimulação no Kunyaza

O Kunyaza possui três etapas e, pelo menos, dois tipos de estimulações: a externa e a interna. Em ambas, o homem se esforça para estimular simultaneamente diferente zonas erógenas femininas localizadas na região genital.

Mas é interessante lembrar que todo o corpo feminino é repleto de zonas erógenas. Para conhecer melhor sobre elas, clique aqui.

1 – Estimulação externa

Essa é a primeira etapa do Kunyaza, e também a mais simples. Você deve friccionar em ritmo contínuo o clitóris com a cabeça do seu pênis, ereto.

Você pode segurar com a mão fechada ou entre o dedo indicador e médio, movendo-o na mesma velocidade, de baixo para cima ou de um lado para o outro, passando-o por toda a extensão da vulva e focando no clitóris.

Movimentos circulares também são válidos, tanto no sentido horário quanto anti-horário. O clitóris e os grandes e pequenos lábios também podem ser estimulados a partir de movimentos de zig zag.

Na estimulação externa, você vai passar seu membro por toda a extensão da vulva da sua parceira, mas sem penetrar. Segura a vontade! Inicialmente, a fricção pode causar um pouco de desconforto caso a área não esteja devidamente lubrificada. Nesse caso, você pode usar saliva. Ou a sua, ou a dela.

Não tenha pressa. Observe como o prazer dela evolui. Observe as reações: a respiração, as expressões, os gestos, os gemidos, reações fisiológicas (se está molhada ou não), enfim.

Se a reação for favorável, insista no que está fazendo. Caso ela fique mais quieta e os suspiros cessem, mude o movimento.

Converse com ela. Pergunte se está gostoso.

É importante não cobrar o orgasmo da mulher. As coisas precisam acontecer no tempo dela.

Se você perguntar se ela já está gozando, ou se vai gozar, isso pode acabar deixando ela ou ansiosa ou travada.

Uma boa opção é perguntar se ela quer que continue, em vez de perguntar se ela já vai gozar.

2 – Só a cabecinha

Essa é a segunda etapa. Depois que ela já estiver lubrificada o suficiente, você vai introduzir seu pênis com movimentos de vai-e-volta, colocando só até a cabeça e tirando novamente. Repita algumas (poucas) vezes.

Depois que ele também estiver lubrificado, você irá colocá-lo na sua mão e fazer, novamente, a primeira etapa.

Posicione seu pênis entre o dedo indicador e o médio e pressione-o contra toda a vulva da sua parceira.

Não precisa de força. Na verdade, se você fizer esse movimento com força, provavelmente será mais incômodo que prazeroso.

O segredo é ter jeito. As vezes, uma carícia bem leve, encostando pouco, pode despertar um verdadeiro terremoto de tesão, enquanto carinhos muito fortes podem acabar machucando.

A medida que a vagina fica mais molhada, você continua repetindo os mesmos movimentos circulares na abertura dos lábios menores. Depois, o próximo passo é estimular, com o mesmo movimento, o clitóris, os pequenos lábios e abertura vaginal.

Nessa hora, você continua roçando seu pênis no clitóris, na parte externa, e também nas “pernas” do clitóris, que ficam internas, mas estão posicionadas ao redor da abertura da vagina. Caso tenha dúvidas, volte na imagem ilustrativa no COMO MASTURBAR UMA MULHER.

Depois de estimular esses três pontos, temos mais um para ser explorado: o períneo. Agora, as carícias com a glande do seu pênis vão do corpo do clitóris até a região anterior ao ânus.

3 – Estimulação interna

Na terceira etapa, a de estimulação interna, você deve segurar seu pênis com as mãos e fazer movimentos intravaginais horizontais, verticais e circulares, se preocupando em estimular diretamente as paredes do canal vaginal, o que costuma gerar mais prazer do que a penetração tradicional.

Para tornar a experiência ainda mais excitante, você pode alternar penetrações superficiais e profundas.

Em todas as etapas, o ritmo e força dos movimentos é lento e delicado, e aumentam de acordo com o aumento da excitação e da lubrificação das áreas envolvidas.

Tenha sempre em mente: a estimulação constante, rítmica e simultânea de diferentes pontos erógenos pode levar sua gata a ter orgasmos múltiplos.

Seguindo as nossas dicas, é muito, mas muito provável que isso aconteça. Além disso, durante a prática do Kunyaza, geralmente, a mulher produz e expele uma grande quantia de líquidos, que pode ser chamada de ejaculação feminina.

Seguindo o nosso guia, sua parceira vai ficar absolutamente viciada em você. Também, como não ficar, né?

Se você curtiu o post e tem outras dicas de masturbação feminina, nos conte deixando sua opinião nos comentários abaixo.

Vamos fazer esse post uma referência de masturbação feminina na internet! E, claro, não esquece de compartilhar com os amigos nas redes sociais.

masturbação feminina

12
Deixe um comentário

avatar
12 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
0 Comment authors
Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
trackback

[…] novas pode acontecer dentro do quarto, experimentando novidades na cama ou colocando em prática novas técnicas de prazer. Mas, quando temos oportunidade, uma viagem romântica é uma das experiências mais […]

trackback

[…] já dissemos no mega-post sobre Masturbação Feminina, o clitóris é o único orgão humano cuja função principal é gerar prazer. Ele reúne mais de […]

trackback

[…] nas preliminares, isso é algo que sempre reforçamos aqui no blog e está mais do que explicado no mega-post sobre masturbação feminina. Se você ainda não viu, é interessante conferir, pois a junção das técnicas de masturbação […]

trackback

[…] Masturbação feminina: Técnicas inovadoras para fazer sua parceira ter orgasmos múltiplos […]

trackback

[…] Para que dê tudo certo, é melhor que ela esteja de absorvente interno. Antes de pedir algo tão importante e valioso, faça por merecer: deixe-a louca de tesão com essas técnicas infalíveis de masturbação feminina. […]

trackback

[…] Nesse post, temos dicas incríveis para fazer sua parceira gozar várias vezes, sem penetração. Use e abuse dessas dicas. Quando ela estiver praticamente implorando para ser penetrada, passe para o próximo passo. […]

trackback

[…] este artigo e se torne o mestre na masturbação […]

trackback

[…] Para aprender como dar orgasmos múltiplos a sua parceira, clique aqui. […]

trackback

[…] Confira aqui um guia completo de masturbação feminina, para deixar sua parceira tremendo de prazer e ainda mais perto de conseguir fazer o squirting. […]

trackback

[…] ferramenta garante prazer infinito, basta saber como acioná-lo. Existem diversas técnicas de masturbação feminina voltada exclusivamente para o prazer delas e hoje nós te mostraremos as mais […]

trackback

[…] sobre o assunto. De acordo com uma pesquisa realizada pelo canal, 90% das mulheres gostam de serem masturbadas pelo parceiro. E ainda 80% declaram que colocar o dedo dentro da vagina não é suficiente para fazê-las gozarem […]

trackback

[…] novamente e toque o próprio clitóris, imaginando ser a sua língua. Dê mais orientações para a masturbação feminina e diga que quer que ela chegue ao orgasmo, porque é isso que você faria se estivesse com ela. […]