Começou 2017! E, para garantir que ele seja melhor e mais produtivo do que o ano que passou, o ideal é desenvolver um bom planejamento financeiro para seguir e, assim, conseguir alcançar os objetivos estabelecidos.

Afinal, aprender a equilibrar os gastos com as necessidades (e desejos) é uma prática saudável e que ajuda a manter as contas em dia.

planejamento financeiro

A verdade é que nem tudo que nos é oferecido diariamente é realmente vantajoso. A mídia é extremamente violenta para vender seus produtos e consegue acabar com qualquer planejamento financeiro.

Você já terminou o dia querendo algo que você nem mesmo imaginava no dia anterior? Algo que você nem mesmo precisava, mas se pegou querendo muito?

A propaganda funciona dessa forma, instaurando em você o impulso e o desejo por algo que você nem mesmo precisa.

Porém, todo cuidado é pouco ao lidarmos com dinheiro, e as possíveis armadilhas que podem provocar um colapso nas finanças pessoais. Valorize qualquer real conquistado.

Gastamos melhor quando o dinheiro que recebemos é fruto de um esforço – afinal, trabalhamos o ano inteiro, nos esforçamos, suamos.

O melhor é que nosso dinheiro faça parte de um planejamento financeiro e seja investido em algo que dê retorno ou que, ao menos, seja de extrema necessidade.

Com a situação financeira do país mais instável do que o normal, muitos de nós viramos o ano com dívidas e problemas financeiros para serem resolvidos. Porém, não se desespere: estamos aqui para te ajudar!

Usamos como base a cartilha de Planejamento e Controle Financeiro Pessoal do Sebrae e, a partir dela, desenvolvemos um Super Guia de planejamento financeiro pessoal para começar 2017 com o pé direito!

Planejamento para as finanças de 2017

Os altos níveis de endividamento têm afetado significativamente a vida das pessoas. O segredo da boa educação financeira está no equilíbrio, em direcionar os recursos para equilibrar as contas e gerar reservas.

Economizar e guardar dinheiro são decisões inteligentes para quem deseja realizar planos futuros e viver livre de preocupações.

planejamento financeiro

O ato de planejar significa organizar-se antes de agir, considerando as possibilidades de atingir objetivos e as metas, acompanhando e avaliando com uma boa frequência.

Estabeleça suas necessidades essenciais, elabore um controle que permita ter noção dos seus gastos e do quanto você recebe para sustentá-los. Esse controle é o primeiro passo para o sucesso.

Você deve fazer uma planilha simples, contendo todas as suas despesas fixas, despesas variáveis e os valores fixos que recebe. Compare com os gastos que você vai ter com o dinheiro que vai receber e tente encontrar um ponto de equilíbrio.

Faça as contas e, se ao final descobrir que elas não fecham, refaça e tente encaixar a renda no orçamento doméstico.

Por fim, observe se não há possibilidade de redução ou, mesmo, eliminação de alguns gastos que não interferem na rotina básica da família.

As despesas básicas e necessárias, como alimentação, educação e aluguel, por exemplo, nem sempre têm como serem reduzidas ou eliminadas, e isso é natural.

Porém, o consumo de serviços como telefone, água e energia podem ser reduzidos tendo um pouco de controle e cooperação familiar.

Pode não parecer, mas os valores que deixamos de gastar somados podem representar uma importante economia no fim do mês. E é isso que estamos buscando, certo?

4 dicas para um planejamento financeiro infalível

O planejamento financeiro gira em torno de quatro ações básicas e primordiais: avaliar os seus objetivos de vida, aprender a comprar (fazer escolhas certas), evitar desperdícios e excessos e rever necessidades e prioridades.

Ou seja: faça um controle do orçamento, anote todos os gastos e ganhos do mês. Depois disso, tenha objetivos claros, e principalmente, condizentes com o seu orçamento e capacidade de pagamento.

Em seguida, pesquise bastante antes de decidir no que investir (seja um carro novo, uma viagem, abrir uma empresa, etc). Por fim, se a conta não fechar, saiba onde buscar crédito e recursos com o menor custo possível.

#4 – Elabore planos de ação

Um plano de ação é o planejamento de todas as ações necessárias para atingir um objetivo desejado. É uma parte importante do processo, pois aqui, avalia-se as prioridades, condições e o resultado esperado.

planejamento financeiro

Um bom plano de ação deve ter: o objetivo estabelecido (por exemplo, comprar uma geladeira), a razão do objetivo, quem vai ser o responsável, qual o prazo para o objetivo se concretizar, como ele vai ser realizado (pelo exemplo, poupando R$200,00 por mês), e quanto vai custar esse objetivo.

É interessante criar uma tabela com o seu plano de ação, e citar todos os seus objetivos, de curto, médio e longo prazo. Assim, você pode visualizar sempre que possível e acompanhar o andamento das suas metas.

#3 – Faça reservas de dinheiro mensalmente

O ideal é destinar no mínimo 10% do que se ganha para o futuro. O hábito de guardar uma parte do que ganha é uma atitude inteligente.  

planejamento financeiro

As condições de investimentos estão diretamente relacionadas ao total de recursos que a pessoa tem disponível.

Vale a pena avaliar e reavaliar a todo o momento como, onde e quando aplicar os investimentos. Pode ser em uma poupança, em ações, vai depender da sua quantia disponível.

#2 – Não extrapole o necessário

Compre apenas o que você realmente precisa. E não extrapole a quantia designada para desejos. Essa é uma dica que para alguns é difícil e para outros é um pouco mais fácil. Cada um tem os seus pontos fracos. Fique atento a eles.

Uma forma efetiva de evitar comprar mais do que o necessário é elaborar uma lista de compras. Não apenas como aquela de supermercado, mas uma geral, para a vida. Todas as vezes que você precisar comprar algo, anote na lista.

Isso é um facilitador e tanto. Faz com que você foque no que realmente precisa, facilita que você pesquise os preços de cada coisa que deseja adquirir antes de efetivar a compra.

Evita que você fique tentando lembrar o que precisa (e acabe lembrando do que não precisa) e também ajuda a controlar os impulsos.

A regra da lista é clara: só compre o que estiver escrito nela. O que não está ali não deve ser comprado.

#1 – Foque nas medidas que evitam o acúmulo de dívidas

Existem medidas essenciais para todo planejamento financeiro dar certo. A primeira é traçar objetivos.

Como falamos antes, os objetivos definidos ajudam as pessoas a não saírem gastando em coisas sem importância e que não agregam valor. É preciso ser organizado para economizar.

Fuja de dívidas. Não gaste mais do que você ganha: sempre menos.

planejamento financeiro

Elabore o orçamento com responsabilidade e faça o possível para cumpri-lo. Além disso, esse tipo de planejamento precisa ser feito em conjunto.

Se você é casado e não tem filhos, converse com sua parceira. Definam juntos quais são as prioridades, quais são os objetivos.

Conversem sobre a importância de planejar: dessa forma, vocês podem alcançar muito mais.

Tome cuidado com o excesso de compras parceladas. A oferta de crédito é abundante, mas é preciso avaliar se é realmente vantajoso.

No fim, você pode estar pagando dois produtos e levando apenas um. Verifique o nível de comprometimento.

Tome cuidado também com cartões de crédito e cheque especial. Evite ter muitos cartões, tenha apenas um, com o limite dentro das suas possibilidades.

Curtiu as dicas para começar 2017 a todo vapor nas finanças? Compartilhe com os amigos e nos diga o que você tem feito para controlar o bolso?

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of