Também conhecida como “plano B”, a pílula do dia seguinte é um método contraceptivo de emergência.

Vale destacar que a palavra “emergência” não é à toa: de acordo com médicos especialistas na saúde feminina, esse medicamento deve ser usado em último caso, quando a mulher teve um contato que possua um alto risco de uma gravidez, caso seja indesejada.

pílula do dia seguinte

Atualmente, a indústria farmacêutica oferece uma série de medicamentos e demais contraceptivos tanto para a mulher quanto para o homem.

O preservativo, por exemplo, reduz em 99% as chances de uma gravidez ou de transmissão de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

Algo importante a se abordar, neste sentido, é que a responsabilidade da contracepção de uma gravidez não cabe somente a mulher.

Muitas vezes, o homem  costuma a deixar de lado métodos simples, como a camisinha, para evitar preocupações futuras.

Como sempre dizemos por aqui, qualquer relação – seja afetiva, seja meramente sexual – deve ser mantida por meio de um diálogo aberto entre o homem e a mulher.

• Veja 6 tópicos para uma conversa sobre sexo que todo casal deve ter •

Por ser um método que traz tantos reflexos para o organismo da mulher, neste artigo, desvendamos para você os efeitos, os riscos e demais dúvidas acerca da pílula do dia seguinte. 

Dicas úteis que nenhum Macho deve ignorar.

Tudo que um Macho de Verdade deve saber sobre a Pílula do Dia seguinte

#1 – Quando a mulher deve usar a pílula do dia seguinte?

A gente vai repetir, pois o assunto é sério: a pílula do dia seguinte é um contraceptivo de emergência.

Ela deve ser usada somente em casos em que os outros métodos não foram suficientes, como quando a camisinha estoura, ou se a mulher tem relações sexuais tendo esquecido de tomar dois ou mais comprimidos da cartela de anticoncepcional, por exemplo.

pílula do dia seguinte

Vale dizer que seu efeito não é acumulativo: o método não substitui o controle realizado por meio dos anticoncepcionais, muito menos pode ser tomado várias vezes ao longo do mês.

Lembre-se: se vocês transarem depois do uso da pílula, é importante se protegerem.

#2 – Pode usar a pílula várias vezes no mês?

Como é um método de exceção, a pílula deve ser tomada, no máximo, uma vez em cada mês. Vale dizer que, se ela é tomada com frequência, o medicamento perde a sua eficácia, o que aumenta os riscos de gravidez.

#3 – Quais os efeitos colaterais

Atualmente, o mercado farmacêutico oferece a pílula nas versões em duas doses (quando ela toma dois comprimidos durante um intervalo previsto de tempo) ou em dose única. Ah, e antes que você se pergunte, o efeito é o mesmo.

Cada dose possui um alto nível de hormônios, o que provoca algumas reações no corpo da mulher, que podem durar algumas horas ou, até mesmo, dias. Entre eles, destaca-se enjoo, dor de cabeça, dores pélvicas e nos seios.

Além disso, o medicamento tende a desregular a menstruação da parceira por cerca de três meses depois da ingestão do contraceptivo.

#4 – Como o medicamento age no organismo da mulher

O contraceptivo de emergência tem como objetivo retardar ou bloquear a ovulação, o que impede a fecundação.

pílula do dia seguinte

A pílula também altera o muco cervical da mulher, a fim de dificultar a chegada do espermatozoide até o óvulo. Outro efeito no organismo é dificultar a fixação do óvulo, caso fecundado, no útero.   

#5 – A pílula do dia seguinte pode ser um método abortivo?

O contraceptivo não é abortivo. O efeito da pílula do dia seguinte é impedir a fecundação, o que, para a ciência e a religião, é o que dá a origem da vida.

Ou seja, apesar de ser um método de exceção, a pílula do dia seguinte possui o mesmo “objetivo” da pílula anticoncepcional ou da camisinha: impedir que o espermatozoide fecunde o óvulo.

#6 – Qualquer pessoa pode comprar?

O medicamento é vendido nas farmácias sem a necessidade de prescrição médica. Ou seja, tanto você quanto a parceira podem comprar a pílula.

Sobre a idade mínima para o uso, qualquer mulher em fase reprodutiva pode tomar o contraceptivo. Mas, como dissemos até aqui, o ideal é que ela seja usada em casos extremos, ok?

#7 – Qual é o limite de tempo para consertar o estrago?

De acordo com os especialistas, após a relação sexual desprotegida, a mulher deve tomar a pílula o quanto antes.

Mas o tempo limite é de até 72 horas, o que equivale a três dias depois da transa. Vale destacar que, quanto antes ela tomar, mais eficaz pode ser o efeito do medicamento.

pílula do dia seguinte

Por exemplo, quando tomada no primeiro dia, a pílula tem 95% de chance de eficácia. Se for tomada no segundo, a chance cai para 88%. Por isso, indica-se que a mulher a tome o quanto antes.

#8 – Como saber se a pílula do dia seguinte funcionou?

Segundo informações da bula do medicamento, a pílula apresenta seu efeito quando ocorre um sangramento após algumas horas de sua ingestão. Apesar disso, a certeza mesmo ocorre somente depois que ocorre o próximo ciclo menstrual.

Sem querer causar receio, mas já alertando: como a pílula desregula a menstruação e altera o organismo da mulher, que passa a sentir enjoos, a certeza de que o medicamento fez real efeito torna-se uma espera nada agradável.

Por isso, caso houver alguma incerteza, sua parceira deve realizar um teste de gravidez para ter melhores conclusões.

#9 – E o que o homem tem a ver com a pílula do dia seguinte?

Você pode ter chegado até esse texto e se perguntado o porquê de tal leitura, não é mesmo?

Saiba você que a prevenção para risco de gravidez ou de doenças sexualmente transmissíveis é uma responsabilidade tanto do homem quanto da mulher.

Caso você não deseje adiantar a sua paternidade, busque sempre tomar os cuidados necessários para contracepção.

pílula do dia seguinte

Camisinha é regra básica, não tem jeito. Mas, se ainda assim, você passou ou está vivendo uma situação de incerteza com a parceira, amigo, mostre a sua hombridade: dê o suporte necessário à parceira.

Afinal, a gata também estará preocupada, pois vale lembrar que ela tem uma vida, planos e sonhos em que, talvez, um bebê não seja a prioridade naquele momento. Vamos pensar nisso antes de dizer a ela o típico “só desta vez”. O assunto é sério, e você sabe disso.

Esperamos que essas informações sobre o uso da pílula do dia seguinte sejam úteis para você e a sua parceira na hora do “bem e bom”.

Vale lembrar – e sempre lembrar – que sexo seguro é feito com camisinha, ok?

Compartilhe esse artigo em suas redes sociais e ajude outros amigos a entenderem mais sobre o assunto.

pílula do dia seguinte

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of