O hambúrguer é uma das comidas preferidas de muita gente. O pão, a carne e o queijo são capazes de conquistar até os estômagos mais exigentes. E é um prato que não tem segredo nenhum no preparo e, por isso, pode ser sua escolha certeira para impressionar em um jantar romântico, nas reuniões de família e nos encontros com os amigos. Afinal, quem não gosta de um bom hambúrguer caseiro?

hambúrguer caseiroAs pesquisas sobre comida indicam que o hambúrguer, como conhecemos hoje, é descendente direto de uma necessidade: conservar a carne.

Antigamente, quando ninguém sonhava com fast food, picar e temperar era um jeito de manter a carne em ordem para suportar longas distâncias em viagens, por exemplo.

O hambúrguer em si, a carne, é importantíssima, porém, são os acompanhamentos que dão vida e graça a um bom hambúrguer caseiro.

Se você ficou curioso e quer saber quais são as dicas dos chefs para mandar bem no hambúrguer caseiro (não só no fim do ano, mas o ano todo!), confere aí!

Como fazer o melhor hambúrguer caseiro do mundo

#1 – Composição simples

hambúrguer caseiro

O hambúrguer suculento e macio não incorpora ovo, farinha ou outro produto. Só carne. E o tempero, é claro.

O segredo é usar uma peça fresca e de boa procedência. Seja picanha ou acém, o importante é confiar no fornecedor.

Fique de olho no açougue: veja se a carne foi moída na hora, certifique-se que a máquina de moer está limpa e sem sobras de outras peças. No nosso post sobre churrasco, falamos mais sobre como escolher a carne ideal. 

#2 – Dando liga

Não peça uma carne magra, pois a gordura ajuda para modelar e dar firmeza ao hambúrguer, além de irrigar e dar sabor à carne durante o cozimento.

A proporção varia de acordo com o gosto do freguês, mas não deve ser superior a 20% ou inferior a 15% ou 10% do peso da carne, para os mais moderados.

hambúrguer caseiro

Sei que é difícil medir essas proporções no olho, mas converse com o mestre de carnes.  Se a gordura não estiver presente no corte da carne que você escolheu, peça para que ele acrescente durante a moagem da carne.

#3 – Tipo de carne ideal

Alguns profissionais indicam fraldinha, uma carne muito vermelha com bastante sangue e quantidade de gordura razoável para equilibrar o sabor no cozimento.

Outros preferem outros tipos de cortes como a maminha, a alcatra, a picanha ou até mesmo o acém.

Você pode experimentar também um truque dos chefs: o blend de carnes, uma mistura entre diferentes cortes de carne para que o hambúrguer tenha um sabor único.

Porém, o que realmente importa é a qualidade da carne, o frescor e a procedência.

#4 – Temperos

hambúrguer caseiro

Cebola, salsinha, alho e pimentas variadas são ingredientes que muitas pessoas gostam de somar à carne moída.

Porém, alguns chefs acreditam que é suficiente usar apenas sal e pimenta-do-reino. Num consenso, a orientação geral é colocar o tempero de sua preferência sobre o hambúrguer só na hora de chapear, grelhar ou fritar. Temperar antes pode desidratar a carne.

#5 – Tamanho

hambúrguer caseiro

Isso depende da sua preferência, mas a escolha interfere na textura, na suculência e, óbvio, na aparência do lanche.

Um disco muito fino pode ficar duro e cozido além da conta. Os especialistas indicam algo em torno de 160 gramas e 250 gramas, com altura de altura de 1,5 centímetro e diâmetro de 10 centímetros.

Numa frigideira caseira o ideal é apostar em uma porção de 160 gramas, já que o fogo não é tão potente quanto o das casas especializadas.

#6 – Chapa, frigideira ou grelha

hambúrguer caseiro

O tipo de cozimento é um dos principais pontos que diferenciam os hambúrgueres. De modo geral, discos mais altos ficam melhores na grelha e os mais finos na chapa ou frigideira, já que a água da carne se solta na superfície e pode cozinhar a em vez de tostar. A dica aqui é usar em casa aquelas grelhas ou chapas para fogão.

#7 – O ponto certo do hambúrguer

Quando a carne passa do ponto, ela perde em sabor e textura. A sugestão para que o produto não mantenha a umidade é chapear, grelhar ou fritar em no máximo 10 minutos, cinco para cada lado do disco.

hambúrguer caseiro

É o suficiente para selar dos dois lados e ir controlando o ponto. Mas isso não é uma regra. O importante é garantir a temperatura mais alta possível. Vale o bom senso: quanto mais tempo no fogo, mais passado ficará o hambúrguer e, quanto mais fino, menos tempo ele precisa ficar na panela.

#8 – Pão

hambúrguer caseiro

Se a ideia é apostar no tradicional, o pão estilo americano, redondo e fofo, e que tem mais milho na receita, oferece um sabor mais adocicado que casa direitinho com a carne e o queijo.

Também é importante que o pão esteja fresco e quente. A dica é passá-lo na chapa para tostar a superfície que ficará em contato com a carne.

Como o centro da carne (principalmente as mal passadas) solta umidade depois do preparo, é indicado deixar que ela descanse antes de colocar no pão. Isso evita que ele fique molhado e desmanche na mão na hora de comer.

#9 – Acompanhamentos

Vai do gosto do freguês, mas fazem bom papel os legumes grelhados e batatas em todas as suas variações (fritas, salteadas ou assadas).

Dentro do lanche, quem manda é sua imaginação. O queijo é fundamental. Cheddar, prato, suíço, brie, coalho, cream cheese, parmesão… vale qualquer tipo, mas os que derretem são mais interessantes. Cuidado, pois o excesso pode mascarar o sabor da carne. Moderação.

hambúrguer caseiro

Aposte no bacon, pimentas, picles, cebolas (caramelizadas ou não), pepperoni, salames, deixe a imaginação fluir.

Aposte também em variações de salada, além do clássico alface e tomate (pense em agrião, rúcula). Não se esqueça dos molhos: eles são fundamentais. Maioneses caseiras temperadas, barbecue, picante, existem inúmeras variações interessantes para finalizar seu hambúrguer caseiro perfeitamente.

Se você gostou do conteúdo, não deixe de compartilhá-lo com os amigos nas redes sociais! 

Até breve.

hambúrguer caseiro

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments