Graças ao eterno tabu que envolve cenas de sexo na TV, poucos filmes ousam mostrar um sexo de verdade nas câmeras. Claro que não estamos falando de filmes pornôs.

O fato do sexo ainda ser um tabu em alguns aspectos é, de certa forma, intrigante.

Sabemos que é um dos momentos mais íntimos em que apenas os envolvidos testemunham as emoções do outro, e isso torna-o um objeto de grande curiosidade.

Principalmente cenas de sexo que se distanciam dos padrões irreais da indústria pornográfica.

O sexo de verdade, real, entre pessoas “normais”, é uma das coisas que mais atraem as pessoas – tanto mulheres, quanto homens.

Uma das categorias mais buscadas nos sites pornôs são a de vídeos amadores, ou seja, produzidos por gente comum, como eu e você. Melhor dizendo: como você e sua mulher (eu e você não hein, tô fora!).

O fato do sexo ainda ser um tabu em alguns aspectos é, de certa forma, intrigante.

Sabemos que é um dos momentos mais íntimos em que apenas os envolvidos testemunham as emoções do outro, e isso torna-o um objeto de grande curiosidade. Principalmente cenas de sexo que se distanciam dos padrões irreais da indústria pornográfica.

O sexo de verdade, real, entre pessoas “normais”, é uma das coisas que mais atraem as pessoas – tanto mulheres, quanto homens. Uma das categorias mais buscadas nos sites pornôs são a de vídeos amadores, ou seja, produzidos por gente comum, como eu e você. Melhor dizendo: como você e sua mulher (eu e você não hein, tô fora!).

Nos filmes, o sexo também é um tema recorrente, mesmo que, na maioria das vezes, não seja explorado explicitamente. Porém, a linha entre a sétima arte e a pornografia é muito fina.

Se você busca sexo explícito, você procura filmes pornôs. Mas, e quando os filmes convencionais trazem cenas cheias de intensidade sexual? As coisas ficam ainda mais interessantes, certo?

Pensando nisso, selecionamos 10 filmes clássicos, não pornográficos, que trazem cenas de sexo reais, em que os atores não estavam fingindo.

Filmes (sem ser pornô) com sexo de verdade

#10 – Ninfomaníaca I e II, Lars Von Trier (2013)

O diretor dinamarquês foi um passo adiante. Aqui, ele segue as aventuras sexuais de Joe (Stacy Martin / Charlotte Gainsbourg), contadas para um homem que a resgata.

#9 – O Império dos Sentidos, Oshima Nagisa (1976)

Este filme foi apresentado no Festival de Cannes de 1976 e o público ficou chocado. Todas as cenas de sexo são bastante reais e explícitas. Ele é baseado na história verdadeira de Sada Abe, japonesa conhecida por asfixiar eroticamente seu amante. O filme é proibido no Japão.  Assumindo ser uma ninfomaníaca e que não é, de forma alguma, uma pessoa boa, ela narra algumas das aventuras sexuais que vivenciou para justificar o porquê de sua auto avaliação.

#8 –  Klip, Kaja Milos (2012)

Jasna conta a história de uma jovem que vive com sua mãe em uma vila na Sérvia, entre drogas e álcool. Foi aclamado pela crítica, mas na China, na Rússia e na Noruega, ele foi listado como um filme que promove a pedofilia e a pornografia infantil.

#7 – Stranger by the Lake, Alain Guiraudie (2013)

Durante o verão, homens se encontram na beira de um lago escondido. Franck se apaixona por Michel, um homem bonito, poderoso e mortalmente perigoso. Franck sabe com quem está se envolvendo, mas ignora o perigo para poder viver essa paixão. O filme estreou em Cannes e é o único cujo elenco é composto 100% por homens.

#6 – Caligula, Tinto Brass (1979)

Esse filme é um dos mais controversos da história do cinema. Ele conta a vida do famoso imperador romano, caracterizado por seus excessos. Ele teve relações sexuais com homens, mulheres e até animais. Bob Guccione, que financiou o filme, quis acrescentar cenas de sexo explícito, que alguns descrevem como pornográfico.

#5 – Deite comigo, Clement Virgo (2005)

Esse filme canadense estreou no Festival Internacional de Toronto e é inspirado no romance de Tamara Berger, em que Leila é uma jovem sexualmente voraz que lida com os homens através de breves encontros íntimos. É estrelado por Eric Balfour e Lauren Lee Smith, que ao contrário dos outros casos, eles admitiram que fizeram cenas de sexo reais.

#4 – Amor, Gaspar Noé (2015)

Murphy está frustrado com a vida que leva, ao lado da mulher e do filho. Um dia, ele recebe um telefonema da mãe de sua ex-namorada, Electra, perguntando se ele sabe onde ela está, já que está desaparecida há meses. Mesmo sem a encontrar há anos, a ligação desencadeia uma forte onda saudosista em Murphy, que começa a relembrar fatos marcantes do relacionamento que tiveram. O filme foi filmado em 3D.

#3 –  Pasolini, Abel Ferrara (2015)

Narra os últimos dias de Pier Paolo Pasolini, interpretado por Willem Dafoe, diretor de cinema italiano, que foi assassinado em 1975. O cineasta se apaixona por um menino dos subúrbios de Roma e, mesmo com o sexo de verdade, as críticas recebidas foram muito positivas.

#2 – The Brown Bunny, Vincent Gallo (2003)

Bud (Vincent Gallo) é um piloto de motocicletas que perdeu Daisy (Chloë Sevigny), o grande amor de sua vida. Seu trabalho é correr incansavelmente, volta após volta. Ele vai de New Hampshire até a Califórnia e, ao cruzar os Estados Unidos, tenta inutilmente se desfazer da lembrança dos últimos instantes passados com a mulher amada. Para se livrar dessas memórias, Bud fará o que puder: passará todos os dias por novas aventuras, aproximando-se das mulheres com a mesma facilidade com que as deixa.

#1 – Anticristo, Lars Von Trier (2009)

Casal devastado com morte do único filho muda-se para uma casa no meio da floresta para superar o episódio. Mas os questionamentos do marido, psicanalista, sobre a dor do luto e o desespero de sua esposa desencadeiam uma espiral de acontecimentos misteriosos e assustadores. E as consequências dessa investigação psicológica são as piores possíveis.

 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of