Se as despesas financeiras se tornaram um problema daqueles para você neste ano, o planejamento financeiro pessoal pode ser uma alternativa positiva para organizar o seu orçamento e começar o novo ano “no azul”.

Parece ser algo difícil e complicado, mas não é. O planejamento financeiro serve para organizar seus gastos e recebimentos, a fim de que você mantenha sempre o controle sobre as finanças pessoais, trazendo maior segurança material e qualidade de vida.

planejamento financeiro pessoal

Além disso, essa forma de gestão aplicada dos gastos ainda te ajuda a identificar seus problemas financeiros, evita o risco de gastos supérfluos, dívidas e demais situações que podem complicar o seu futuro financeiro que, para a maioria de nós, chega a ser cada vez mais instável e incerto.

Pensando nisso, reunimos neste artigo algumas dicas que são unânimes entre os especialistas da área que podem ajudar a melhorar seu planejamento financeiro e organizar as suas finanças pessoais para 2017. Vamos lá?

Planejamento financeiro pessoal sem mistério

#8 – Liste todos os recebimentos e despesas fixo

Entre os recebimentos, você deve relacionar o salário mensal, rendimentos de ações ou poupança, bem como o pagamento de serviços prestados, por exemplo. Depois disso, faça uma lista com todos os gastos mensais, como alimentação, moradia, transporte, saúde, lazer e entretenimento.

O ideal é que você faça uma planilha (no computador ou em uma agenda) para organizar as “entradas e saídas” durante todo o mês. Atualmente, existem também aplicativos para smartphones que oferecem esse serviço de forma gratuita. Não se esqueça de sinalizar o status de cada lançamento realizado no período: despesas pagas, despesas a pagar etc.

#7 – Faça acordos para a quitação das dívidas

Muitas instituições financeiras e demais organizações oferecem opções de acordo para quitação das dívidas. Apesar de trabalharem com uma taxa de juros, esses credores oferecem parcelas fixas, que podem se adequar ao seu orçamento atual.

planejamento financeiro pessoal

Caso você esteja enfrentando um montante considerável de despesas, a orientação é que você busque conversar com essas empresas o mais rápido possível, a fim de garantir um acordo que seja favorável para melhorar o seu planejamento financeiro pessoal.

#6 – Evite o uso desnecessário do cartão de crédito

É isso mesmo! Além de prolongar os seus débitos, caso você não tenha condições de quitar o total da fatura, a taxa de juros pelo crédito rotativo só aumenta a sua dívida, o que pode gerar o que é conhecido como “bola de neve”. Isso tende a complicar – e muito! – o planejamento financeiro pessoal.

Por isso, utilize o cartão apenas quando for benéfico e necessário para você, como o resgate de milhas ou a falta de desconto em uma compra à vista. Nos demais casos, comprar no dinheiro evita o risco de imprevistos para o próximo mês. Afinal, você só comprará se puder.

Acesse o artigo sobre os 5 erros financeiros mais comuns que casais cometem

#5 – Busque viver de acordo com o seu padrão de vida

Se a situação financeira está apertada, por que, então, reunir mais dívidas? O momento agora é de equilíbrio e redução de gastos supérfluos, como aquela ida ao cinema semanalmente. Caso você conviva com outras pessoas, o que é indicado, neste momento, é engajar todos nesse planejamento para a diminuição das despesas.

Como dissemos até aqui, você deve passar a consumir apenas o que seja necessário, caso contrário, poderá passar apuros. Ah, e não se esqueça de guardar todos os registros de compra realizados, pois eles devem ser listados naquela planilha que falamos na dica nº 8.

#4 – Aprenda a poupar seu dinheiro

Não precisa ser o famoso “mão de vaca”, deixando de fazer um lanche no meio da tarde para não ter que gastar. Mas passe a fazer reservas mensais de parte dos seus recebimentos para despesas futuras.

planejamento financeiro pessoal

A gente já adianta: para ter um bom planejamento financeiro pessoal, você deverá a gastar menos do que recebe. Afinal, essa é a via certeira para manter o equilíbrio das suas finanças. Por isso, avalie sempre as despesas e construa metas para serem conquistadas em curto, médio e longo prazo. Acredite, isso poderá te estimular a poupar até aquele troco da padaria.

#3 – Crie metas para alcançar seus objetivos

A gente falou das metas em curto, médio e longo prazo, certo? Sim, elas irão variar de acordo com o seu objetivo. Coloque na ponta da caneta o que você deseja conquistar e qual seria a média de tempo e de custos para tornar essas metas realizáveis.

planejamento financeiro pessoal

Indicamos que você, caso esteja endividado, tenha como objetivo principal a quitação das despesas. Depois disso, o momento pode ser favorável para poupar dinheiro para outros objetivos, como a reforma da casa ou a compra de um novo televisor, por exemplo. Mas, lembre-se: seja realista e gaste apenas o que estará de acordo com o seu padrão de vida.

#2 – Acompanhe mensalmente os seus objetivos

De nada adianta listar gastos e recebimentos, evitar o uso de cartão de crédito e a criação de dívidas supérfluas, bem como a criação de metas se você não acompanha regularmente o seu planejamento financeiro pessoal.

Somente dessa forma, você poderá perceber a evolução do seu orçamento, além dos reflexos das suas metas para a realização e conquista dos seus objetivos. Tenha disciplina e persistência para controlar as despesas e as finanças pessoais sempre em dia.

Confira as 6 dicas para aumentar a renda e viver bem com sua parceira

#1 – Aprenda a investir o dinheiro poupado

Depois que você conseguir organizar todas as suas despesas e quitar aquele velho montante de dívidas, sobrará uma folga no seu orçamento, certo? Além de saber poupar e reservar dinheiro para situações futuras, oriente-se para saber investir para aumentar seus rendimentos.

planejamento financeiro pessoal

A orientação inicial é que você avalie seu perfil de investidor, não tenha receio e nem pressa. Afinal, é o seu árduo dinheiro que estará em jogo. Outra orientação é buscar informação com pessoas do mercado para escolher o melhor plano, como o investimento em ações, renda fixa, previdência privada entre outros.  Consulte a melhor opção para o seu perfil e invista sempre que possível.

Esperamos que essas dicas sejam úteis para que você comece ou, até mesmo, reorganize seu planejamento financeiro pessoal. Que tal compartilhar esse artigo em suas redes sociais para ajudar outras pessoas que desejam equilibrar as finanças em 2017? Cadastre o seu e-mail em nosso site para conferir mais novidades sobre finanças.

planejamento financeiro pessoal

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
trackback

[…] mudanças na vida podem causar estresse. Assim como problemas financeiros, falta de tempo, crianças e família, dificuldades no relacionamento, trabalho, estudos, tráfego […]