A internet mudou a forma como as pessoas se relacionam, isso é fato. E com a evolução dos smartphones a comunicação está, literalmente, na palma de nossas mãos. No entanto, o vício em celular pode acarretar alguns problemas no relacionamento como ciúmes e falta de confiança.

Mas, ao mesmo tempo que os aplicativos de celular e redes sociais diminuem a distância entre família e amigos que estão longe, eles te afastam de quem está do seu lado. E isso pode ser visto em números. Por exemplo, no Brasil, a taxa de divórcios cresceu cerca de 160% em 10 anos. Hoje, um a cada três casais se separam.

Claro que existem diversos motivos para um casal se separar (dinheiro, sexo, traição), no entanto, algumas pesquisas apontam o vício em celular como um facilitador nessa história.

O vício em celular está matando o seu relacionamento

Uma pesquisa feita pela Baylor University, nos EUA, comprovou que o vício em celular é prejudicial aos relacionamentos amorosos e que podem até levar a certos níveis de depressão.

Em um estudo denominado “Minha vida tornou-se uma grande distração para meu telefone celular: Phubbing e satisfação com o relacionamento entre parceiros românticos”, os professores James A. Roberts e Meredith David entrevistaram 453 participantes adultos. O objetivo era entender os efeitos do “phubbing”.

O termo é uma junção das palavras em inglês phoning (usar o telefone) e snubbing (esnobar, ignorar). Portanto, o phubbing acontece quando um dos parceiros presta mais atenção no smartphone, fazendo o outro se sentir ignorado.

Voltando ao estudo, os pesquisadores viram que quando o parceiro percebe que está sendo deixado de lado, isso além de criar conflitos, aumenta o nível de insatisfação com o relacionamento. Por sua vez, a insatisfação com o relacionamento leva a níveis mais baixos de satisfação com a vida e, consequentemente, aumenta os níveis de depressão.

Dentre as reclamações mais comuns ouvidas por James e Meredith, estão: “Meu parceiro coloca o seu celular onde ele pode vê-lo quando estamos juntos” ou “Meu parceiro checa a tela do celular enquanto fala comigo”.

Outro resultado alarmante que a pesquisa apontou foi que 46,3% dos participantes se sentem ignorados pelo parceiro, 22,6% disseram que o phubbing causa conflitos em suas relações e 36,6% afirmam que se sentem depressivos a maior parte do tempo.

Apenas 32% dos entrevistados afirmaram que estavam plenamente satisfeitos em seus relacionamentos.

Como lidar com o vício em celular

Como vimos, o vício em celular não é uma coisa inocente como parece. Meredith ainda acrescenta nas conclusões: “Nas interações diárias com seus parceiros, as pessoas muitas vezes presumem que as distrações momentâneas com seus telefones celulares não são uma grande coisa. No entanto, nossos resultados sugerem que quanto mais o casal é interrompido pelo celular, menos provável é que o outro indivíduo esteja satisfeito no relacionamento”.

O fato é que realmente é muito chato você estar com alguém e a pessoa ficar o tempo todo no celular. Simplesmente, o outro sente que sua presença não é importante, que não faz diferença estar ali.

Por isso, precisamos aprender a lidar com isso. Precisamos enxergar que estamos cada vez mais dependentes de nosso telefone e isso não é saudável. Algumas empresas de marketing estimam que, em média, consultamos nosso telefone mais de 100 vezes ao dia.

Apesar de não ser classificada ainda como uma doença ou um transtorno, o vício em celular ganhou um nome: nomofobia. Outro termo que também deriva do inglês “no mobile phone phobia”, ou fobia de não ter telefone móvel. E já vimos o estrago que ela pode causar nos relacionamentos.

Portanto, se você está percebendo que sua parceira ou você mesmo estão passando tempo demais no telefone e pouco tempo um com o outro, aprenda como você pode lidar com isso.

Ela não larga o telefone

Então, sua parceira tem passado muito tempo se divertindo nas redes sociais e em outros aplicativos, deixando você de lado. Provavelmente já houveram algumas brigas a respeito e ela acha que você está apenas com ciúmes.

Nesse caso, ficar cobrando e acusando apenas vai agravar a situação. O melhor a se fazer é mostrar como você sente falta da companhia dela. Diga a ela como você se sente de forma honesta.

Procure evitar brigas por causa do celular. Tampouco tente tirar o aparelho a força dela ou ficar espionando quando ela não estiver vendo. Em uma relação saudável é importante que haja confiança.

Além disso, o caso aqui não é se ela está te traindo ou não, mas que o tempo que ela deveria estar com você, ela parece preferir estar com outras pessoas.

Agora, se você já teve uma conversa franca com a sua parceira e mesmo assim nada mudou, é hora de tomar algumas atitudes mais drásticas. Algumas pessoas são tão viciadas em celular que é automático dar aquela conferida na tela quando o aparelho vibra ou acende uma notificação.

Nesse caso, peça a ela que desligue o aparelho. Essa é uma estratégia muito eficaz para não se render ao vício e conseguir aproveitar o tempo com o parceiro.

No entanto, se o caso for muito grave, talvez seja indicada ajuda profissional.

O importante aqui é sua parceira entender como o vício em celular está atrapalhando o relacionamento entre vocês e aceitar que ela precisa de ajuda.

VCA: viciados em celular anônimos

Se você:

  • Olha o celular sempre que chega uma notificação;
  • Deixa o celular em cima da mesa no bar ou no restaurante para poder conferir quando chegar uma mensagem;
  • Está sempre com o celular colado ao corpo para sentir ele vibrando;
  • Ouve o telefone tocar quando ele não tocou;
  • Não consegue sair sem precisar postar uma foto no Stories;
  • Acha que tudo precisa de uma foto;
  • É incapaz de assistir um show e não filmar metade da apresentação;
  • Faz check-in em todos os lugares que vai;
  • Sua namorada reclama que você não sai do telefone e já te acusou de traição;
  • Frequentemente perde parte da conversa e tem que pedir para alguém repetir porque estava vendo algo no celular;
  • A primeira coisa que faz quando acorda é checar as notificações;
  • A primeira coisa que faz antes de dormir é checar as notificações;
  • Dorme com o celular em baixo do travesseiro ou ao alcance da mão;
  • Leva o celular pro banheiro;
  • Se sente pelado quando deixa o celular para trás;
  • Raramente deixa o celular para trás;
  • Procura uma tomada em qualquer lugar que esteja para carregar o telefone.

Se você apresenta três ou mais desses sintomas, então você tem um vício em celular. E não adianta justificar falando que você usa o telefone para trabalhar ou que precisa estar disponível 24 horas. Se esse é o caso, então você é viciado em celular e trabalho, e precisa urgente de terapia.

Agora que você já admitiu sua situação, vamos ver como te ajudar

Como combater o vício em celular

Tristan Harris trabalhava para o Google e sua principal função era buscar novas maneiras de prender a atenção dos usuários. Ironicamente, hoje ele dá dicas de como as pessoas podem passar menos tempo no mundo virtual e mais tempo no mundo real.

Então, vamos aos conselhos do mestre:

#1. Deixe sua tela cinza

As cores brilhantes e vivas da tela do seu telefone são uma recompensa ao cérebro. Portanto, a sugestão aqui é configurar seu telefone em uma escala de cinza. Segundo Harris, eliminar esse reforço positivo ajuda a ficar mais tempo longe do celular.

#2. Desative as notificações

Muitas das notificações que chegam são de aplicativos ou do próprio dispositivos, e não dos nossos contatos pessoais. Isso faz com que o celular vibre e acenda, atraindo automaticamente seu olhar.

#3. Carregue seu telefone fora do quarto

Manter uma distância física do celular enquanto você dorme é uma das formas de combater o vício em celular. Para isso, coloque ele para carregar em outro quarto ou longe do alcance de suas mãos e volte a usar o bom e velho despertador amigo.

Assim, você deita e acorda sem que o celular seja a primeira e a última coisa que você vê.

#4. Limpe sua tela inicial

Muitas vezes você abre aplicativos desnecessariamente, só porque eles estão ali quando você desbloqueia o telefone. Para isso, Harris sugere que você mantenha na tela inicial apenas aplicativos tedioso, que não vão prender seu tempo, como mapas, calendários ou bloco de notas.

#5. Use a busca

Uma vez que sua tele inicial estará “vazia”, ao invés de diretamente os aplicativos, você pode recorrer ao campo de busca do aparelho. O simples ato de escrever o nome do app vai te dar tempo para pensar se você realmente precisa dele.

No mais, ouça sua mãe, sua tia e sua principalmente sua gata quando elas falarem que você passa tempo demais no telefone ao invés de brigar com elas. Pode ser que você esteja mesmo viciado no celular e esteja deixando de lado quem quer estar ali com você de verdade.

Além disso, deixar o mundo virtual para estar no mundo real vai te proporcionar momentos mais incríveis com quem você ama. Vai por mim.

Não deixe de compartilhar esse artigo com os amigos. Um abraço e até a próxima.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of